Pés descalços na areia e tempo de sobra, é assim que eu queria estar durante horas. Ir de encontro ao mar ou afastar-se dele desviando das ondas, enche-me de gratidão e plenitude por saber que eu respiro. Surpreendentemente ou não, eu não sei o que é estar viva e viver conforme acho que mereço, há quase um mês. Tem muita coisa que eu ainda estou pondo em ordem e contando com a sorte, arrisco no tempo que não anda colaborando comigo. Minha lixeira nunca conteve tantos papéis rasgados e embalagens de comidas prontas, consegui fazer duas canetas falharem e acho relevante contar que, de tanto escrever, fiz um calo no meu dedo e esqueci até do quanto eu tenho pavor a isso. O mais próximo que cheguei da praia foi quando acordei cedo e fui à janela ver o sol dar bom dia, avistei águas azuis e uma imensidão de mundo que sonho em conseguir abraçar um dia. E quanto mais eu rezo, mais obrigações me aparecem. Descobri um mundo que clama por mim, que cobra demais, que me quer se desdobrando, e se pra isso eu terei que me reinventar, que eu siga sem olhar pra trás. Descobri um mundo que também preciso, um mundo novo onde o ócio e a  ”siesta” desapareceram do meu mapa mental. Sempre que eu lembro que o universo existe, alimento uma esperança de que ele me ajude a reciclar cada lágrima que eu derramei, em sorrisos. Das energias trocadas, é isso que espero. Por vezes me pego cansada do que ainda nem começou… Eu, nas minhas quase 20 primaveras, tenho tanta coisa ainda pela frente que me espera, a verdade é que preciso me acostumar a seguir o ritmo. O amadurecer é um exercício diário e não vem do nada, porém requer grandes doses de paciência. E esse poço inesgotável de vontade de experimentar o novo, não me deixa sucumbir. Sei que não preciso me esperar, apenas me acompanhar. Quem disse que preciso ir por um caminho já traçado? A acomodação só vem quando você desiste de ver o mundo como teu. E nesse momento, exatamente agora, não me permito ser menos que eu mesma. Não me permito fazer menos do que eu queira.

Pulso agora, silenciosamente, de vida.
Anúncios