Vontade de nada e saudade de tudo é basicamente o que me define agora. Sei que devo amenizar um pouco na intolerância, mas o problema é saber que de qualquer forma isso acontece por motivos justos. Estou ouvindo The Strokes  em um nível considerado e a vizinhança ainda não se pronunciou a respeito. Acho bom mesmo.
Ligo o chuveiro e enquanto cantarolo ”Hard to Explain” enumero meus pensamentos numa escala honesta, mas isso nunca foi a solução pra nada. Fica difícil me conter em apenas encostar a cabeça no travesseiro quando se a vontade mesmo era de levantar e  mudar tudo que está em minha volta, como se fosse uma parede velha e rabiscada que pede pra ser renovada em sua cor.
Sentimentos firmes como diamantes me norteiam a seguir uma direção que parece ser a mais óbvia, porém a menos sensata. Apesar de achar que já passei do tempo de entrar em conflitos clichês do tipo razão x emoção, ainda acredito que a melhor maneira de se encontrar no seu próprio labirinto mental é seguir sua vontade e evitar ao máximo regredir à faíscas do passado.

Firme, ser firme. Eternamente, como um diamante.

Anúncios